Prefeita Tamiko participa de Fórum Nacional de políticas para mulheres em Brasília

Por secom - 02/12/2019 19:03

A prefeita Tamiko Inoue participa, em Brasília, do Fórum Nacional de Organismos Governamentais de Políticas para as Mulheres. São dois dias de debates, que começaram nesta segunda-feira (02).

Coordenado pela Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres ligado ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, o evento reúne líderes de 21 Estados de todas as regiões do Brasil para debater os desafios da implementação das políticas para as mulheres no país.

Uma das representantes do Estado de São Paulo, Tamiko enfatiza a importância de fortalecer os organismos executores dessas políticas para que a ação dos governos tenha uma incidência efetiva na alteração da desigualdade entre mulheres e homens na sociedade brasileira.



“Estamos buscando avanço na defesa dos direitos das mulheres em todos os seus aspectos, seja contra a violência ou no mercado de trabalho. É um trabalho constante para garantir o que prega órgãos como a ONU”, comentou Tamiko destacando que Andradina é uma das poucas cidades que possui uma pasta exclusiva para os Direitos Humanos.

Em pauta temas como: Debate sobre a criação do Plano Emergencial de Combate ao Feminicídio, a atuação preventiva da Polícia Militar na violência doméstica e familiar contra a mulher, acesso a informação e a discussão sobre os números de violência. Estão ainda em pauta: “Trabalhando em Rede: o papel de cada ator na aplicação da Lei Maria da Penha e a corresponsabilidade” e “Construindo Políticas Públicas de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher”.

As palestras vêm sendo proferidas, essencialmente por mulheres, e conta com a participação da secretária Nacional de Políticas para Mulheres, Cristiane Rodrigues Britto, e da secretária-adjunta, Roseane Estrea; da coordenadora Geral do Departamento de Políticas de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres – SNPM-, Valéria Laval, da Diretora do Departamento de Políticas de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Grace Justa, entre outras autoridades.