Pecuarista de Range Rover atropelou a matou andradinense em Araçatuba, apura polícia

Por hoje mais - 12/01/2020 14:00

Um pecuarista de 23 anos, morador na Vila Estádio, em Araçatuba (SP), foi identificado como sendo o autor do atropelamento que resultou na morte do sushiman andradinense Fernando Ikeda Piona, 45, na madrugada de sábado (11).

Segundo a polícia, ele conduzia uma Range Rover Evoque, encontrada estacionada na frente da casa dele. Apesar de ter sido identificado, o investigado não foi localizado. O advogado da família informou que ele deverá se apresentar à polícia nos próximos dias.

Atropelamento

De acordo com o boletim de ocorrência, o atropelamento aconteceu pouco depois das 5h, em frente ao cemitério da Saudade.

A vítima conduzia uma motoneta Honda PCX que foi atingida na traseira na via sentido à avenida Joaquim Pompeu de Toledo.

No local, os policiais encontraram Piona caído no asfalto, próximo da motoneta. Equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamada, confirmou a morte e o corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) para exame necroscópico.

Localização

Assim que foi concluída a perícia no local, os policiais militares iniciaram patrulhamento. Já no início da noite, uma equipe foi abordada por uma pessoa que informou a placa do veículo que teria atropelado o sushiman.

Os policiais conseguiram identificar o endereço onde a Evoque estava registrada, a encontraram no local, tocaram a campainha da casa e foram atendidos por uma mulher. Ela pediu para aguardar a chegada do advogado da família, Jaime Monsalvarga.

Medo

Informado da denúncia, o advogado autorizou o recolhimento da Range Rover para perícia.

De acordo com ele, o pecuarista disse que após atropelar Piona, parou para prestar socorro à vítima, entretanto, apesar do horário, vários motociclistas teriam parado e passado a ofendê-lo.

Por medo de ser agredido, o investigado teria deixado o local, ainda segundo o advogado.

Crime

O boletim de ocorrência do atropelamento foi registrado como homicídio culposo na direção de veículo e fuga de local de acidente.

Porém, o Hojemais Araçatuba apurou que um inquérito será instaurado e a polícia pode considerar que o condutor da Evoque assumiu o risco de matar.

Dessa forma, ele poderá ser indiciado por homicídio doloso, como no caso do empresário Luciano Justo, de Birigui, envolvido em outra morte em Araçatuba conduzindo um Ford Mustang, em 2016.

Nesse caso, a sentença foi proferida em novembro e a Justiça entendeu que o réu agiu com imprudência, condenando-a 3 anos de detenção em regime aberto pelo crime de homicídio culposo. O Ministério Público recorreu.