Moradora de Ilha Solteira é vítima de golpe do “cartão retido”

Por ilha de noticias - 14/01/2020 19:15

Uma mulher de 65 anos caiu no golpe do cartão retido no último final de semana, em um banco da cidade de Ilha Solteira. 

De acordo com Boletim de Ocorrência registrado pela Polícia Civil, a vítima disse que foi até agência do Banco do Brasil, que fica na Alameda Mato Grosso, para pegar um talão de cheque. Ela foi até um terminal, e, ao colocar o cartão para iniciar a operação, o mesmo ficou retido.

Ela firma que no terminal apareceu a mensagem “Seu cartão ficou preso? Sim ou Não”. Ao digitar sim, foi emitida uma nota, com dois números de telefone, para onde a vítima deveria ligar, para conseguir a liberação do cartão. Ela afirma que tentou, mas não conseguiu.

Foi quando teria aparecido um “rapaz”, que ela não conhece e que não estava identificado como funcionário do banco, que a orientou a fazer a ligação de um telefone instalado na agência. Ela fez e passou a falar com uma pessoa, que ela acreditava ser atendente da operadora do cartão. Ela digitou sua senha, as letras de segurança do cartão e dados pessoais.

Após ter feito tudo o que atendente pediu, ela não conseguiu liberar o cartão. A golpista, então, informou que ela receberia um novo pelo Correio ou poderia retirá-lo posteriormente na agência.

Não há informação se, com o golpe, ela teria tido algum prejuízo financeiro.

Golpe e Dicas – Para aplicar esse tipo de golpe, os estelionatários geralmente instalam um equipamento no caixa, que retém o cartão do cliente. Ele é geralmente realizado à noite ou nos finais de semana, quando não há funcionários nas agências.

A dica é que, em caso de retenção do cartão no caixa automático, aperte as teclas "anula" ou "cancela" e comunique-se imediatamente com o banco. Para isso, tente utilizar o telefone da cabine para comunicar o fato. Se ele não estiver funcionando, pode tratar-se de tentativa de golpe. Nesses casos, nunca aceite ajuda de desconhecidos, mesmo que digam trabalhar para o banco, nem digite senha alguma, na máquina ou aparelho telefônico de terceiros.

Se alguém lhe telefonar dizendo-se funcionário do banco e pedir-lhe para dizer ou digitar sua senha, não o faça em hipótese alguma.