Incêndio suspeito destrói casa em lote rural e autônomo pede ajuda para reconstruir

Por Redação - 04/07/2020 15:08

Se a situação está complicada por causa da pandemia do novo coronavírus imagine para quem perdeu tudo no incêndio da única casa suspeito de ter sido criminoso? Essa é a atual situação do autônomo Adriano da Silva Souza, 45, ex-motorista da Usina Raizen em Andradina, que investiu tudo que tinha para comprar um lote no Assentamento Timborezão e agora enfrenta essa situação?

Uma semana atrás, o fogo destruiu a sede do lote 133, distante mais de 20 km do centro da cidade, à beira do rio Tietê, consumindo praticamente tudo que havia dentro. A Polícia Civil está investigando o incêndio suspeito.

Adriano estava ausente quando ocorreu o incêndio, suspeito de ter sido provocado pela ex-mulher que teria sido vista por ao menos três testemunhas antes do sinistro. Segundo ele, a esposa não aceitava a separação. O casal estava junto havia 7 anos e não teve filhos.


O autônomo Adriano diz ter sido vítima de crime

Vizinhos tentaram debelar o fogo usando baldes e mangueiras, mas o esforço foi praticamente em vão e a distância não favoreceu a ação dos bombeiros, que apenas realizaram o rescaldo.

Sem o imóvel Adriano deixou o lote e está residindo com a mãe na cidade, mas pretende reconstruir o que foi destruído pelo incêndio. Para isso espera contar com a generosidade da comunidade andradinense.

DOAÇÕES

O autônomo aceita doação de móveis, utensílios domésticos e material de construção – telhas, tijolos ou blocos, madeira, portas, janelas, vaso sanitário, cimento, enfim, tudo que for útil na obra, mesmo sendo usado.

“Pretendo reconstruir a casa pela necessidade de cuidar do lote. Sei que a situação está difícil para todo mundo, mas sempre existe alguém de bom coração disposto a ajudar”, comenta ela, ainda triste com o episódio.

Os interessados em doações podem ligar para o celular da mãe de Adriano, dona Maria Silva Souza: 99630-5893. Ela mora na Rua Rio Grande do Norte, 553 – bairro Feltrin.