Nova frente fria chega ao Brasil: noites bem geladas e recordes de frio previstos

Por https://www.vix.com/ - 21/05/2020 16:17

Uma nova frente fria está chegando ao Brasil nesta quinta-feira (21). Essa é a segunda forte onda de frio que vai passar pelo País no mês de maio e, além de causar quedas bruscas nas temperaturas, também trará chuvas. 

Essa grande frente fria e sua massa de ar frio de origem polar chegam ao Brasil com forte intensidade, mas a chuva e o frio começam a avançar com força sobre o país na sexta-feira (22).

Segundo o Climatempo, o ar gelado vem pelo interior do continente e se espalha com mais facilidade pelo interior do Brasil, deixando o próximo fim de semana bem gelado.

Embora essa onda de frio mexa com as temperaturas em todo o Brasil, as regiões mais afetadas serão Sul, Sudeste e Centro-Oeste, inclusive, o Sul do país já entra em alerta para temporais nesta quinta-feira (21).

Novos recordes de frio podem acontecer

Diferentemente da primeira frente fria do mês de maio, que deixou só o fim de semana do Dia das Mães gelado, a segunda continua derrubando as temperaturas no início da próxima semana.

As madrugadas dos próximos dias também serão bastante frias, podendo ocorrer novos recordes de frio no País.

O que é uma frente fria e por que geralmente ela traz chuva consigo?

A notícia da chegada de uma frente fria geralmente anuncia queda de temperatura e possibilidade de chuvas. Mas não devemos odiá-la: ela é um fenômeno natural importante para manter a temperatura da Terra em equilíbrio entre o ar gelado que se movimenta a partir dos pólos e o ar quente que se forma na região equatorial do planeta.


O que é a frente fria?

A frente fria, na verdade, é o limite, a fronteira que separa a massa de ar quente e a massa de ar fria. Quando dissemos que a “frente fria avança” é porque a massa de ar fria que se condensa nos pólos do planeta é atraída pelo calor e se movimenta em direção à região mais quente, onde passa a Linha do Equador.

Conforme a corrente de ar frio irrompe pelo continente, vai empurrando a massa de ar quente, que está (relativamente) parada, para cima - a velocidade das correntes frias é alta, chegam até 30 km/h, sendo que o recorde registrado é de 64 km/h. Mais seco e mais denso, o ar frio, digamos, é mais poderoso que o ar quente, e por isso ele ocupa o espaço onde o calor estava.