Furacão Iota deixa 16 mortos e 4 desaparecidos na Nicarágua

Porr7 -19/11/2020 13:54

Pelo menos 16 mortos, quatro desaparecidos e grandes danos materiais foram deixados na Nicarágua pelo furacão Iota, que varreu a Região Autônoma do Norte do Caribe (NCR) e causou deslizamentos de terra mortais no centro e no norte do país, segundo informações divulgadas por autoridades locais na quarta-feira (18).

Sete pessoas morreram no subsolo em um deslizamento de terra que ocorreu em uma região montanhosa no departamento de Matagalpa, no norte do território nicaraguense, divulgou a vice-presidente do país, Rosario Murillo, oferecendo uma avaliação preliminar dos danos.

Os sete mortos pertencem a duas famílias que vivem nas encostas de uma colina e que, de acordo com Murillo, tinham recebido uma oferta de realocação para um lugar mais seguro, mas recusaram.

"Essas famílias vinham sendo visitadas continuamente e estavam instaladas em uma área de risco. Em anos anteriores, haviam sido apresentadas a eles propostas de realocação, que elas não aceitaram. Então, nos últimos dias, foram visitadas pedindo para serem retirados" revelou Murillo, esposa do presidente Daniel Ortega.

Deslizamento de terra e cheia dos rios

A informação preliminar é que havia 15 pessoas desaparecidas, das quais, ao longo da noite de terça e na manhã desta quarta, quatro pessoas foram encontradas vivas e sete mortas.

O deslizamento, que testemunhas disseram ter deslocado a terra em cerca de 1 quilômetro, ocorreu ontem à noite em uma área de difícil acesso em uma reserva natural a 1.745 metros acima do nível do mar, localizada no município de La Dalia, departamento de Matagalpa, 200 quilômetros ao norte de Manágua.

Com esses sete casos, o número de óbitos causados pelo Iota subiu para 16, incluindo duas mães com uma filha cada, que foram arrastadas pela cheia de um rio no departamento de Carazo e outras duas que estavam em um táxi e tiveram uma árvore caindo sobre elas.    

Devastação no Caribe Norte


Depois de se tornar um furacão de categoria 5 na escala Saffir-Simpson, o Iota, agora um ciclone pós-tropical em movimento sobre El Salvador, impactou a costa caribenha da Nicarágua na última segunda-feira como categoria 4, a mesma de seu antecessor, Eta, que havia causado destruição apenas 13 dias antes na mesma região.

Embora a extensão dos danos do Iota ainda seja desconhecida, a devastação é evidente em cidades como Bilwi e na comunidade de Haulover, 35 quilômetros ao sul, onde o olho do furacão desceu, ambas na Região Autônoma do Norte do Caribe.

Em seu caminho pelo norte da Nicarágua, o fenômeno causou inundações, deslizamentos de terra, destruição e morte, especialmente em áreas que foram afetadas pelo Eta, que deixou três mortos, segundo a Cruz Vermelha Nicaraguense. Os dados não foram reconhecidos pelo governo. Um alerta vermelho está em vigor para o Caribe da Nicarágua, e um alerta amarelo para o restante do país.