Rios do Acre começam a baixar: mais 118 mil pessoas continuam afetadas pela cheia

g1 -21/02/2021 19:01

Das dez cidades acreanas atingidas pela cheia dos rios, pelo menos oito delas estão com vazante (diminuição no nível das águas) e com estabilidade após os rios baixarem alguns centímetros, entre o sábado (20) e o domingo (21).

Entre as cidades que apresentaram vazante está a capital acreana, Rio Branco. O Rio Acre chegou à cota de 15, 49 metros na manhã deste domingo. No interior do estado, as cidades de Feijó (14,22), Tarauacá (10,10), Sena Madureira (18,04), Santa Rosa do Purus (6,99), Jordão e Rodrigues Alves (sem régua) também começaram a baixar.

Em número atualizados neste domingo, a Defesa Civil estima ainda 118.496 pessoas atingidas pelas enchentes, mas o Acre chegou a ter 130 mil pessoas atingidas de alguma forma pela cheia dos rios na capital e no interior do estado. A Defesa Civil considera atingidas pela cheia casas onde a água chegou, desabrigando ou não os moradores.

Mesmo com a vazante dos rios, o número ainda deve aumentar por causa dos efeitos pós-cheia.

O governador do Acre, Gladson Cameli, decretou, na terça-feira (16) situação de emergência devido à cheia dos rios e também pelo surto de dengue, crise migratória na fronteira do Acre com o Peru e a falta de leitos de UTI para pacientes com Covid-19.

Maior cheia do Juruá


Com maior número de pessoas atingidas com a cheia no Acre, Cruzeiro do Sul, a segunda maior cidade do estado tem mais de 30 mil pessoas atingidas pelas águas do Rio Juruá e seus afluentes. O município decretou situação de emergência na segunda-feira (15); o decreto é válido por 60 dias.

Conforme dados da prefeitura, Cruzeiro do Sul tem mais de 200 pessoas desabrigadas e cerca de 1,2 mil desalojadas, que tiveram que deixar suas casas temporariamente. Em Cruzeiro do Sul são 33 mil famílias atingidas pela cheia.

O Rio Juruá chegou a 14,36 metros na medição das 15h de sábado (20). Essa pode ser a maior cheia já registrada no Juruá, desde que o manancial ultrapassou a marca de 14,20 metros em fevereiro de 2017. Neste domingo (21), o rio apresentou vazante e chegou à cota de 14,31 metros.