COVID-19: Para evitar surpresas, Educação de Castilho cota preço de itens de segurança

assessoria de comunicação -07/04/2021 19:27

Medida permite antecipar a previsão de gastos em caso de retorno das aulas presenciais em escolas e creches municipais 

A Prefeitura de Castilho começou a divulgar no último dia 30 de março os resultados parciais do processo licitatório aberto para registro de preços das futuras compras de materiais de prevenção da Covid-19.

Os 16 itens cotados neste procedimento, foram listados pela Secretaria Municipal de Educação visando atender principalmente as crianças, corpo docente e funcionários das Creches, EMEIS, EMEFS, Divisão de Cultura e Divisão de Transportes. Os valores individuais de cada item são válidos por doze meses, o que possibilitará à Administração efetuar a compra necessária para atender cada unidade escolar no caso do tão esperado retorno presencial às salas de aula.

Entre os vários itens cujos preços foram apurados, estão borrifadores de álcool, dispenser de sabão líquido, porta-toalhas de papel, cloro ativo para higienização de ambientes, diferentes modelos de máscaras de proteção individual – incluindo algumas próprias para permitir a leitura labial por crianças com problemas auditivos, tapete sanitário que higieniza os calçados e limita a possibilidade de circulação do vírus dentro do ambiente escolar, fitas para demarcação de solo indicando o distanciamento mínimo em filas e luvas descartáveis.

Uma análise de cada item pesquisado, revela a preocupação da Administração Municipal e da Secretaria de Educação com as necessidades individuais de cada aluno, como explica a secretária da Pasta, Silvânia Cintra:

“Temos poucos casos, mas na rede municipal existem crianças com problemas auditivos, por exemplo, e cujo aprendizado depende parcialmente da leitura labial das aulas dadas pelos professores dentro das salas de aula. Se o professor estiver utilizando uma máscara comum como esta do nosso dia a dia, a criança terá dificuldades de aprendizado. Por isso, providenciamos a compra de máscaras especiais para casos como este. E este é apenas um dos muitos exemplos. Os itens que compraremos quando necessário, também visam a educação dos alunos quanto aos métodos corretos de prevenção, cuidados estes que também estamos levando em consideração quando o retorno às escolas e creches for uma realidade e a merenda escolar tiver que ser entregue novamente a cada aluno”, informou a secretária.


Ela completou que alguns destes itens já começaram a ser adquiridos e entregues nas escolas, onde professores e funcionários continuam trabalhando, mesmo que em sistema de revezamento. De acordo com Silvânia, os itens básicos de manutenção da higiene nos ambientes escolares estão entre as prioridades e somente itens que possuam prazo de validade reduzido ou cuja necessidade não seja prioritária neste momento, serão comprados quando surgir a necessidade.

A quantidade de compra de cada item poderá variar conforme a realidade individual das unidades de ensino e caso ocorra o retorno dos alunos às salas de aula. Portanto, torna-se impossível somar os valores e considerá-los como gastos efetivos previstos para manter a segurança de alunos e servidores em cada mês. Mas, para seu conhecimento, divulgamos abaixo a relação completa destes itens e seus respectivos valores individuais.