Segurança e Carrefour serão processados por morte de cachorro abandonado

Por ACRIMESP E G1 - 04/12/2018 18:17

A ACRIMESP – Associação dos Advogados Criminalistas do Estado de São Paulo, através de seu presidente Ademar Gomes, está tomando providências contra o segurança e a Loja Carrefour de Osasco, onde um funcionário espancou e envenenou um cachorrinho no último dia 28.

Segundo o criminalista, raticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos: Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa. § 1º. ... “A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

E o supermercado Carrefour será processado por dano moral e por maus tratos no valor de R$ 500 mil reais, valor este que será revertido ao Instituto Luisa Mell.

O CASO

O cachorro abandonado morreu após ser envenenado e espancado por um funcionário de uma loja da rede do supermercado Carrefour, segundo relato de ativistas.

"Um segurança do Carrefour que matou o cachorro. Ia ter uma visita de supervisores da matriz e o dono do mercado, da filial de Osasco, pediu para o funcionário dar um fim no cachorro. Ele deu chumbinho no meio de mortadela, e agrediu o cachorro", afirmou ao G1 Rafael Leal, da ONG Cão Leal.

Fotos do animal ferido e a denúncia das agressões foram divulgadas no Facebook. Uma das postagens teve quase 20 mil compartilhamentos.

Em nota, o Carrefour afirma que o animal circulava pela unidade há alguns dias e que o Centro de Zoonoses foi acionado diversas vezes para que o cachorro fosse retirado do local, mas o chamado só foi atendido na última sexta (30).

Em nota, a rede afirma que o funcionário envolvido foi previamente afastado. O texto, entretanto, alega que o animal perdeu os sentidos após a abordagem de profissionais do Centro de Zoonoses de Osasco.

"No momento da abordagem dos profissionais do órgão para imobilização, o cachorro desfaleceu em razão do uso de um 'enforcador'".

A Prefeitura de Osasco confirmou que recolheu o animal ferido e sangrando, com escoriações múltiplas. No entanto, a nota enviada pela assessoria de imprensa não cita o desmaio durante o uso do enforcador.

Rafael Leal contesta a versão do Carrefour e diz que o animal não foi retirado da loja por profissionais do Centro de Zoonoses. Ele foi socorrido por quem passava pelo local e viu o cachorro ferido. "O cachorro foi resgatado com vida todo ensanguentado por uma pessoa que estava perto e socorreu. Ele foi levado para uma clínica veterinária particular, mas morreu em atendimento", conta.