Prefeita Tamiko acompanha início de projeto Geladeiroteca para incentivar a leitura

Por Secom/Prefeitura - 09/10/2018 11:51

A prefeita Tamiko Inoue esteve acompanhando, nesta segunda-feira (08), o início do projeto Geladeiroteca que vai incentivar a leitura no município.

Coordenado pela Secretaria de Políticas Sobre Drogas o projeto consiste em “geladeiras” recheadas de livros, que ficarão à disposição da comunidade, de forma gratuita, oportunizando a todos o acesso à leitura. Um dos pontos escolhidos é a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) “João Miguel”.

Tamiko explica que o objetivo é fomentar a circulação de livros entre as pessoas e também de promover a ideia de gestão compartilhada entre iniciativa privada, poder publico e sociedade civil.

As geladeiras sem uso, mas em bom estado de conservação, foram doadas por pessoas que acreditam no projeto o designer e artista plástico Lair Guedes fez as ilustrações externas.

Conforme destaca a secretária da pasta, Sandra Pereira, foram criados dois slogan: “Livro vai, livro vem, você lê e eu também” e “Não preciso usar droga nenhuma para viajar, viajo lendo um bom livro”.

“O funcionamento do projeto é simples. Trata-se de uma carcaça de geladeira que é customizada para chamar a atenção de quem vê e é alimentada com livros recebidos por doação”.

Ela destaca que as pessoas poderão retirar, trocar e doar livros sem que haja a necessidade de um cadastro formal. “É uma forma simples de oferecer livros para a população de maneira mais facilitada”.

A escolha da geladeira como local para montar uma biblioteca não foi ao acaso. “Como é um eletrodoméstico usado nas residências para armazenar itens que geralmente são consumidos diariamente, resolvemos trabalhar, ou melhor, brincar com a noção de consumo, mas não de alimentos e sim de livros. Por isso a geladeira. Consumimos tanta coisa no nosso dia a dia e que tal seria ter uma geladeira onde se consome livros?”, ressalta a prefeita Tamiko. 

Inicialmente cerca de 100 livros estarão à disposição do projeto. Os mesmos podem ser retirados gratuitamente, podendo serem devolvidos ou não. Quem desejar também pode doar exemplares colocando na geladeira, a fim de que mais pessoas possam se interessar por outros gêneros.

O Governo de Andradina vai disponibilizar mais unidades em locais públicos e estabelecimentos com grande circulação de pessoas. “Trabalhamos para que o projeto seja acolhido por qualquer pessoa ou entidade que tenha interesse em compartilhar a noção de doação e repasse de material”, completa Sandra Pereira.

No projeto serão recebidos livros de literaturas, autoestima, revistas, gibis em bom estado. Não é permitido doação de enciclopédias e livros didáticos.

Estiveram presentes a secretária de Educação, Lucilene Novais, o secretário de Cultura, Fabrício Carvalho, a secretária de Promoção a Cidadania e Direitos Humanos, Paola Kotaki, o secretário de Cooperação para Assuntos de Segurança Pública, Edson Luiz Benatti, o delegado da Junta do Serviço Militar, tenente Carlos Eduardo, o chefe de instrução do Tiro de Guerra, o subtenente Leonardo Minakawa, a gerente da Acia (Associação comercial e industrial de Andradina), Marise Teixeira, um dos pontos de arrecadação dos livros junto às lojas do comércio, os assessores, Izabel Arranha, Chesmam Ouro, Roberto Pereira, os servidores, José Mário Dias, Cecília Haick, Helena Maria Lopes.